SALVADOR TABORDA PORTUGAL, natural da Villa de Penamacor da Provincia da Beira. Foraò seus Progenitores Domingos Antunes Portugal Desembargador dos Aggravos, e Deputado do Conselho Ultramarino, do qual se fez larga melhoria em seu lugar, e D. Isabel Taborda filha de Salvador Taborda de Negreiros. Aplicou-se na Universidade de Coimbra á Jurisprudencia Cesarea, na qual tendo recebido as insignias doutoraes, foy admitido por Collegial no Collegio de S. Pedro a 7 de Mayo de 1664 regentada a Cadeira de Instituta com igualaçoens á de Codigo, de que tomou posse a 23 de Julho de 1668. Depois de ser Desembargador na Relaçaõ do Porto, dos Aggravos da Casa da Suplicaçaõ, Procurador Fiscal da Junta dos Tres Estados, Procurador, e Conselheiro do Conselho da Princeza D. Isabel, foy eleito Enviado Extraordinario á Corte de Pariz, em cujo ministerio sucedeo a Duarte Ribeiro de Macedo. Partio de Lisboa a 6 de Agosto de 1677, e chegou a Arrochela a 29 de Setembro do dito anno. Nesta grande Corte assistio o largo espaço de treze annos, exercitando a incumbencia que lhe fora cometida com maduro talento, e sagaz politica, até que falleceo no anno de 1690, quando estava nomeado com o mesmo caracter para a Corte de Roma. Teve vasta noticia de ambas as Jurisprudencias, continuada liçaõ da Historia profana, e intelligencia profunda dos interesses dos Soberanos. Escreveo com pureza a lingoa Latina, e da Arte Poetica praticou felizmente os preceitos. Foy casado com D. Mariana de Figueiredo, de quem teve D. Antonia Caetana Taborda Portugal, que sendo herdeira se desposou com Joaõ de Lemos de Brito moço Fidalgo da Casa Real, Comendador da Ordem de Christo, e Deputado da Junta do Comercio, de quem teve sucessaõ. Compoz

Soneto, e Endechas Castelhanas á morte do Marquez de Tavora Luiz Alvares de Tavora. Sahiraõ no Compendio Paneg. da Vid. e Açoens deste Heroe. Lisboa por Antonio Rodrigues de Abreu 1674. 4.

Relectio ad Tit. C. de Castrensi peculio. Dictada quando regentava a Cadeira dos Tres livros do Codigo. He allegada por seu Pay o Doutor Domingos Antunes Portug. Tract. de Donationib. Reg. Tom. 2. lib. 3. cap. 24. n. 15.

Memorias dos sucessos que aconteceraõ em França, e na mayor parte da Europa no tempo que assistio naquella Corte com a ocupaçaõ de Enviado do Serenissimo Principe Regente depois Rey D. Pedro II. N. S. a ElRey Christianissimo Luiz XIV. Tom. 1. Consta de 6 livros deste o anno de 1677, até 1683. fol. M. S.

Tom. 2. Consta de 6 livros deste o anno de 1684 até 1689. fol. M. S. Ambos estes dous Tomos vimos, e saõ escritos em estylo elegante.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]