VICENTE DA MOTA DE CARVALHO, natural da Villa de Setuval, recebendo a primeira graça na Freguezia de S. Juliaõ a 7 de Fevereiro de 1685. Foy filho de Belchior da Mota de Carvalho, e de sua mulher Paula Soares. Na Universidade de Coimbra estudou Jurisprudencia Cesaria, e formado nella voltou para a Patria, onde exercitou o Officio de Advogado de Cauzas Forenses. Teve genio particular para a Poesia Comica, compondo

El Principe de la Vanda. Imprimio-se

La dicha en la desdicha.

Tambien castiga quien ama.

Castigar lo que se estima.

Indicios contra verdades.

Para argumento da sua sciencia juridica tem composto

Enthymesis ad Ordinat. Regni Portugalliae ad lib. 3. ex Tit. 13. usque ad 24. 2. Tom. fol. M. S.

Ensayos moraes, e politicos discorridos pela serie dos Estados, e limites dos Monarchas Lusitanos. fol. M. S.

Oraçoens Academicas. fol.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]